Roomcast 099 – Jogos que todo mundo gosta, mas eu não

OuvirNão odeiem a gente, amiguinhos! Wild Mendonça, TLX e Fábio Sooner se reúnem para comentar sobre os jogos que todo mundo gosta, mas a gente não… Ou pelo menos que consideramos “apenas” bons, mesmo sendo supervalorizados pela crítica ou pelo público. Clique aqui para baixar!

Ouça o cast:

Anúncios

9 comentários Adicione o seu

  1. Guilherme disse:

    HUMMMM, ESSE TEMA COM ESSA FOTO DO RALIM….PAI AMADO.!!

    Curtir

  2. fabriciokarim77 disse:

    O meu “Mamilos-game” é God of War. Já tinha terminado Ninja Gaiden no Xbox original, jogado Devil May Cry então não achei uma grande novidade, mas detesto QTE. Nem minha paixão por mitologia grega foi suficiente para me animar. Meu irmão comprou PS3 e PS4 só por este jogo mas já me disse que deve comprar um Scorpio futuramente por causa dos serviços da Microsoft.

    Sooner, te entendo perfeitamente, sou viciado em Metroidvanias. Terminei Metroid 2, Castlevania 2, Super Metroid, Castlevania SotN e todos os castlevania de GBA, PS2 e muitos jogos Indie. Atualmente estou jogando Momodora: Reverie under the Moonlight.

    “Onde os Fracos Não Tem Vez” define bem a dificuldade dos games antigos. Terminei Ninja Gaiden 3 porque decorei onde cada inimigo apereceria.

    Os méritos que deram fama a Halo foram 3:
    *Inteligência artificial.
    *Multiplayer, para 16 pessoas, online e local, no console, na época.
    *Ele criou o paradigma de jogabilidade usado até hoje.
    – Jogabiidade feita para controle com 2 analógicos.
    – Um botão para porrada e outro para granada; antes eram armas que deviam ser selecionada.
    – Só poder levar duas armas; até então carregava um ainfinidade de armas.

    O único jogo de estratégia que gostei é “Dragon Force”, do Sega Saturn, justamente pelo equilibrio entre complexidade e jogabilidade. (…e aquela trilha sonora!)

    Eu poderia estar roubando! Eu poderia estar matando! Mas não, estou aqui invocando demônios! Joguei persona 2, 3 e 4 mas o destino não deixo terminar nenhum deles.

    Curtir

    1. Fabio Sooner disse:

      Fala Fabrício!

      Eu *quase* mencionei God of War, mas ia ser mais por achar que fizeram jogos demais na fórmula, não por não gostar exatamente. Tanto que acabei aproveitando a promo da PSN no fim de semana e peguei o God of War III Remastered por 5 Trumps. Só para matar a saudade quando o ‘reboot’ estiver chegando.

      Quem sabe se a gente fizer uma parte 2 eu menciono, até para lembrar que não é à toa que o jogo deve mudar tanto no próximo; a fórmula de hack n’ slash do original já foi amplamente superada por N jogos da Platinum, pelo DmC da Ninja Theory, e em parte por Dark Souls/Blooborne/Nioh. Não dava para continuar só no reino do quadrado, quadrado, triângulo contra divindades massivas.

      Boa lembrança sobre a inteligência artificial do Halo, de fato era fora de série para a época, mesmo em comparação com os jogos de PC. E teve a trilha também, que é uma das mais icônicas já feitas.

      E é uma pena não ter terminado os Persona, pelo menos o 3. O final é de doer no coração, quem jogou nunca esquece. O 4 é melhor no geral, mas o final é menos impactante (tirando um detalhe específico que quase me matou do coração na hora). Se tiver CERTEZA de que nunca vai voltar e terminar o 3, tenta pelo menos assistir os filmes dele. São bem fiéis no geral e como você já jogou, qualquer coisa que poderia parecer meio viagem vai estar bem contextualizada pra você.

      Valeu a audiência e estamos aí! o/

      Curtir

  3. Eduardo Canha disse:

    Bom Cast galera! Gostei do tema e da coragem de voces de mostrarem os mamilos. Meu jogo mamilo é o Destiny. Joguei por duas semanas mas não entendi o hype todo. Provavelmente tem a ver com eu não gostar muito de jogos multiplayer (Paulo Antunes style) Vamos ver se o Destiny 2 consegue me surpreender. Grande abraço a todos!

    Curtir

  4. Eduardo Canha disse:

    Ah! Excelente musica de encerramento. Que musica é?

    Curtir

    1. Fabio Sooner disse:

      Valeu pelos elogios Eduardo!

      Sobre a música de encerramento, qual delas? A inteira ou o trechinho de fundo no extra engraçadinho de peido? XD

      A música inteira é a versão do Faith No More para “War Pigs” do Black Sabbath.
      Já a música do extra é “Uncle Fucka”, da trilha do filme do South Park: Bigger, Better and Uncut.

      Para quem estiver curioso sobre o resto, a de abertura é a versão do Frank Black (ex-e-de-novo-Pìxies) para “Hang On To Your Ego” dos Beach Boys – que por sua vez era uma versão alternativa, com outra letra, de “I Know There’s An Answer”, deles mesmos.

      Já a trilha do cast como um todo é o segundo disco dos Chemical Brothers na íntegra e uma parte do primeiro na sequência.

      Notem que quando eu edito, nenhuma música é escolhida sem um motivo – nem que seja servir apenas de fundo meio dançante, meio tenso como no caso dos Chemical Brothers. Achei que tinha a ver com o tema -falar de jogos que não gostamos mas de boas, sem muito estresse. Até pensei em botar Prodigy também, mas os discos deles têm músicas demais com letras, que atrapalham ouvir os participantes se o volume passar um pouco que seja do ponto.

      Valeu a audiência e até o próximo cast!

      Curtir

      1. Eduardo Canha disse:

        Valeu Sooner! War Pigs na versão do Faith no More ficou muito boa! Parabéns pela trilha sonora, Eu quase não noto isso nos podcasts que escuto, mas as do roomcast são foda. Muito a ver com o meu gosto pessoal.

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s