Roomcast 112 – Grandes Promessas, Grandes Decepções

OuvirA gangue toda – Wild, Casão, TLX e Sooner – se reúne para cantar aquela velha música de Simon & Garfunkel… Ahem, quer dizer, relembrar grandes promessas do mundo dos games que acabaram se tornando grandes decepções. Watch Dogs, Quantum Break, Mighty Number 9, The Order: 1886 e muitos outros são abordados no cast temático desta semana. Clique aqui para baixar!

Ouça o cast:

Duração – 01:28:50

00:00:00 – abertura
00:03:03 – leitura de comentários
00:05:14 – As grandes decepções
01:23:53 – encerramento

Anúncios

4 comentários Adicione o seu

  1. fabriciokarim77 disse:

    Para mim, pode-se classificar a causa do Hype em 3 situações:

    – Propaganda enganosa. É o caso do No Men Sky. Prometeram mundos e fundos e não entregaram. Rendeu até processo. Esse aqui é culpa das empresas envolvidas e serve de lição para as mesmas.

    – Expectativas equivocadas. Neste caso a culpa é nossa. Aqui a lista é grande mas vou citar o caso do Quantun Break. No meu caso o jogo não me surpreendeu mas ainda assim atendeu a minha expectativa. Em geral, eu escapo desses caso pois, se um jogo me interesse, eu procuro me informar para ajustar minhas impressões. Foi o caso do Destiny para mim. Só olhei para o jogo quando soube do beta. Asisti um video que detalhava tudo que se sabia até então. Muitos definiam Destiny como Halo + Borderlands o Mass Effect. O que eu vi foi Halo + Phantasy Star Online. O resultado? centenas de horas jogadas e pré-venda de Destiny 2 feita.

    – Expectativa pela continuação. O atual foi muito bom, o próximo será melhor, mas se não for… Por exemplo, A série CastleVania. Por mais que tenhamos muitos jogos bons, principalmente o Order of Ecclisia, nunca será um Synphony of the Night.

    E falando em Hype e CastleVania… Porra Netflix!! Só 4 episódios!
    A direção de arte! A abertura com visual de manga! Os personagens! O história!
    O segundo capítulo é o mais fraco mas não é ruim. Faltou umas músicas vindas dos jogos, se bem que se tocasse Rainning Blood ou Children of the Grave eu não reclamaria.

    Já confirmaram mais 8 episódios mas como já disse Freddy Mercury:

    I want it all
    And I want now

    Curtido por 1 pessoa

  2. makulia disse:

    Olá eu sou o Bessa do podcast Isso é Playstation. Posso dizer que The Order e No Man’s Sky nunca me decepcionaram pq eu nunca estive hypado para eles.

    Porem nesse ano eu estava bem animado para Skylar and Plux: Adventure on Clover Island e infelizmente o jogo não era do tipo que eu pensei que era.

    Nunca fui muito fã de Assassin’s Creed porem animei no syndicate que todos falavam ser bem diferente, infelizmente em 2 horas vi que o jogo era tao chato como todos os outros.

    Por ultimo, o jogo que mais me decepcionou foi star wars the force unleashed, por eu ser um grande fa de guerras nas estrelas e por ter gostado mt de force unleashed 1, esperava muito mais da sequenciado do que o que me foi entregue.

    Curtir

  3. Anderson Lage disse:

    Oi. Primeiramente, preciso demonstrar meu descontentamento com o podcast da semana passada dado o spoiler sobre o final de Horizon Zero Dawn. Eu entendi a citação ao Homem-Aranha. 😥

    Enfim, partindo para o podcast atual…

    Creio que o principal problema do The Order: 1886 foi o fato de ele terem criado a arma mais legal que eu vi em jogos de tiro, e só tê-la usado uma vez. Estou falando da arma de termitas.

    Se tivessem focado toda a jogabilidade em cima daquela arma, o jogo teria sido muito mais marcante do que apenas pelos gráficos. Principalmente quando o marketing dele, girou muito em cima dessa arma, que só é usada uma vez.

    Quanto as atividades repetitivas dentro de jogos de mundo aberto, Breath of the Wild e seus 120 Shrines e 900 Koroks.

    E acho que só isso mesmo… Ainda baqueado pelo Horizon no último podcast.

    Abraços, e até a próxima!

    Curtir

    1. Fabio Sooner disse:

      “Primeiramente, preciso demonstrar meu descontentamento com o podcast da semana passada dado o spoiler sobre o final de Horizon Zero Dawn. Eu entendi a citação ao Homem-Aranha.”

      Bom, veja da seguinte maneira: o Casão disse que o final de Horizon NÃO repete isso da citação do Homem-Aranha. Ou seja, ele não deu um spoiler do final, ele disse que o final não tem X, só isso.

      “Quanto as atividades repetitivas dentro de jogos de mundo aberto, Breath of the Wild e seus 120 Shrines e 900 Koroks.”

      Hm, acho que você está confundindo quantidade com natureza da tarefa. Entenda que as Shrines têm quebra-cabeças e ações diferentes, desde os controles até os recursos usados. Não são 120 do mesmo estilo. Algumas nem puzzles têm, são de combate; outras têm que ser achadas fazendo ações no mundo de jogo mesmo, desde explorar bem até conseguir cumprir uma tarefa ou estar em um ponto específico em um momento específico.

      Mesma coisa com os Koroks, a forma de achá-los varia bastante – e ainda por cima você não precisa nem chegar perto de achar os 900. Terminei o jogo na primeira vez com uns 100 sem ficar procurando muito por eles, e foi mais do que suficiente para expandir meu inventário o quanto precisei, tanto que fechei o jogo com arma boa sobrando. E agora na segunda jogada, com a Korok Mask do DLC, estou descobrindo formas de achar Koroks que não tinha nem visto na primeira.

      Jogando não tem nada de repetitivo nas Shrines e nos Koroks. Não teve uma tarefa de Korok ou ação de Shrine que eu repeti tanto quanto me esgueirar para dominar uma máquina e usar de montaria no Horizon, por exemplo.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s